vídeo.

Loading...

sábado, 19 de novembro de 2011

Aula de Fotografia.

College aqui nos USA é um pouco diferente. Não estudamos apenas as matérias essências como português, matemática ou história, mas também temos que estudar matérias que buscarão créditos. Isso geralmente é dança, teatro, fotos, vídeos, etc. Nesse leque de escolhas, eu escolhi fotografia e me surpreendo quanto eu tenho gostado. Tudo que se passa no cotidiano nos permite aprender alguma coisa importante pra vida. 

Primeira semana, foi um choque pra mim quando descobri que seria Camera manual, com filme e eu que teria que revelar o filme. Mas óbvio, aceitei o desafio haha. 
Desde o momento em que se coloca o filme na máquina, tem que ter um cuidado especial pra ser colocado correto ou não vai adiantar tirar as fotos. Depois, tem que manter o controle da quantidade de luz necessária (APERTURE) para uma boa foto equivalentemente com a velocidade do tempo de luz( SHUTTER SPEED) que a Camera automatizara para ter uma boa exposição. 

O próximo passo é revelar. Rebobinamos o filme da maquina, as luzes se apagam e o quarto todo no escuro, sem nem mesmo um pontinho de luz,  será necessário para um bom resultado. Na completa escuridão, temos que tirar o filme de dentro do rolo com uma mini chave de fenda, cortamos a ponta que liga o filme com o rolo e em seguida, temos que encaixar o filme  dentro de um rolo de metal. Tem tudo um ritual pra encaixar tudo e não amassar o filme ou arranhar, afinal, ta tudo escuro. 

Logo, em que achamos no meio do rolo de metal uma fenda, encaixamos o filme e começamos a enrolar o filme. O filme enrolado no rolo de metal é colocado dentro de um pote de metal com tampa preta que veta a luz e finalmente, as luzes podem ser acesas novamente. 

Agora, é a hora de colocar os líquidos que vão fixar as imagens no filme, transformando em negativos. 1 dará a imagem ao filme, depois limpa com água, coloca o fixador e põe num tanque pra limpar o filme. Cada liquido deve ficar no pote uns 5 minutos ( dependendo da temperatura) e agitar a cada 30 segundos.  Quando o filme está pronto, tem que colocar dentro de uma caixa com um ventilador que vai secar o filme e deixar pronto para a impressão. 

O processo de revelação acontece no quarto escuro também, mas a tem a luz vermelha que tanto vemos em filmes.  Tudo ainda tem q ficar no escuro, não por causa do negativo pq ele já esta pronto mas pelo papel onde vamos imprimir a foto porque ele é sensível a luz e se tiver muita luz, ele estraga e não se pode revelar nada. 
Então novamente as luzes se apagam e é muito difícil de se trabalhar lá dentro no escuro. No inicio é  a pior coisa que existe mas depois, tu te acostuma com a circunstancia  e com o tempo tu te adapta e consegue resolver o teu problema da escuridão. 

Revelamos a foto de acordo com a potência  de luz e o tempo em q a luz fica no papel. Cada foto passa por um teste e depois se põe dentro de uma maquina que com produtos revelam a foto e ela esta pronta. 


Já fiquei horas e horas no laboratório e quarto escuro, ao mesmo tempo fico pensando na vida. As vezes, algumas coisas que acontecem na nossa vida são iguais a um dark room. Nos pega de uma maneira e tudo fica escuro e agente se desespera porque não sabe o que vai fazer, não consegue ver a nossa frente, e a escuridão é a única coisa que tu consegue ver. Mas com o tempo, tu te acostuma com o escuro e começa a se virar e resolver a situção e no meu caso, revelar o filme de maneira correta. Não que escuro tenha mudado, e não que vá mudar, tu apenas te acostumou com o escuro e aprendeu a lidar com ele. Mas ainda assim, tudo esta escuro ... E escuro vai ficar.




Photography Class

College here in the USA is a little different than in Brazil. We don’t only study the basics like Portuguese, Math or History, but also we have to study life subjects that will give us credits towards our degree. Those usually are Dance, Theater, Photography, Videos, etc. From all the options, I’ve chosen Photography and it is surprising how much I’ve been enjoying the class. Everything that happens in our daily life gives us the opportunity to learn things very important for life.
The first week was shocking to me when I figured out that we would use a manual camera, with film and that I would have to develop the film. Obviously, I accepted the challenge haha. From the moment we put film in the Camera, we have to be careful to put it in correctly or you are just not going to take pictures. Then, you have to be aware of the quantity of light (Aperture) necessary for a good picture equivalently with the amount of time and speed of light the Camera will automatically give to have a good exposure.
Next, we need to develop the negatives. To develop the film we rewind, then remove the film from the camera. To have a good result, we must have a room completely in the dark with not even e small spot of light. In the darkness, we have to take the film out of the “roll” with a special tool, and then we cut the film and put into the metal roll. Everything has a ritual to fit everything and not damage the film because there is no light.
Inserting the film into the metal roll, we start to roll the film around it. When it is all rolled, we put the film in a metal container with a black cover that keeps the light off the film when the light is tuned on again. 
Now we have to put in the liquids, which are going to fix the images in the film, turning them into negatives.  The first liquid will give the image to the film, then we clean and, we put in the fixer liquid and then we have to put in water to clean the film. Each liquid has to stay in the container for around 5 minutes (it depends on the temperature) and mixed every 30 seconds. When the film is ready, we have to put in a box with a fan that is going to dry the film, making it ready for the impression.
The printing process is also in the dark room, but with the red light on. Everything still needs to be in the dark, not because of the negative (ready already) but because the paper to which we print the pictures is sensitive to light and if there is a lot of light, it won’t print anything. 
Once again, the lights are turned off and it is very difficult to work in the dark. In the beginning it is the worst thing ever but later, you get used to the circumstance and with the time you adapt yourself and get to finish your work in spite of the darkness. 
We print the pictures according to the amount of light (f/stop) and the time that the light is on the paper. Each photo needs a “test” to know the right time and we put in a machine, which with some products and liquids, brings us the photo dried and ready.

I’ve already spent hours and hours in the lab and in the dark room, and at the same time, I keep thinking about life. Sometimes, some things that happen in our lives are the same situation in a dark room.  Situations happen and drive us to despair because we don’t know what to do, we cannot see anything in front of our nose, and the darkness is the only thing that we can see. But slowly with time, we get used to the dark and start to sort out the situation and in my case, to develop and print the film correctly. The darkness didn’t change, and it might not change, you just got used to the dark and you learned how to deal with it. But still, everything is dark … and dark is going to be.


Nenhum comentário:

Postar um comentário